Saturday, 7 April 2012

MARY GONÇALVES


Mary Gonçalves is definitely not your typical Brazilian singer. She was born Nice Figueiredo Rocha in Santos-SP in 25 October 1927

We don't actually know much about her family and early life as there are no books or biography about her. We don't even know when or why Nice changed her name to Mary Gonçalves but as she started appearing in films at the tender age of 16 - in Moacyr Fenelon's 'Gente Honesta' in 1944 - it is only fair to say that maybe her dreams of becoming a Hollywood star had something to do with that name change. Now, Mary is all right for a Hollywood pseudonym but Gonçalves just wouldn't do in the USA where the letter Ç can't even be spelt properly. 

Be that as it may, Mary Gonçalves was on her way up in the Brazilian movie scene starring next to Oscarito in 1946's 'Fantasma por acaso' where she played a 'femme fatale' and then co-starred with heart-throbs Celso Guimarães and Paulo Porto in 'Asas do Brasil', a 1947 super-production when she was 19

After appearing in a few more flicks, Mary must have realized she wouldn't go much further in the underdeveloped Brazilian movie industry. In 1951, when Mary was 24, she gave a new direction to her career. Mary signs a contract with Sinter which releases three 78 rpm singles. 

Mary Gonçalves doesn't waste time. By the end of 1951 everything was geared into making her and Bill Farr - an up-and-coming heart-throb - a romantic pair for fan magazines' fodder. Mary & Bill are photographed striking cute poses as sweethearts for the readers' delight. A romance obvioulsy contrived to advance the careers of both aspiring singers. Be that as it may, Mary & Bill affair was a fenomenal success in the pages of 'Carioca' and 'Revista do Rádio' and it seemed as everything worked in Mary's favour. 

1952 turns out to be better than expected. Mary's romance with Bill Farr flourishes. Mary enters the Sinter studios and records 8 songs which became 'Convite ao Romance', a most pleasant 10" album featuring newcomer song-writer Johnny Alf in no less than half the tracks. 

For some mysterious reasons Mary Gonçalves is suddenly hoisted up as 'Queen of Brazilian Radio' (Rainha do Radio) in a contest fraught with bickering and in-fighting. 

Rainha do Radio was a contest among the leading lady crooners who sang on the many radio stations in Rio. Radio was the most popular means of communication in the 1950s. Contestants were supposed to sell votes to fans. She who sold the most votes would be crowned Queen of Radio. Accordion-player Adelaide Chiozzo and 'baiao's queen' Carmelia Alves were the top contenders. Mary was on 3rd or 4th place. When Carmelia realized - at some stage - she would not make it to the top she 'donated' (dumped) all her thousand of votes to Mary Gonçalves who unexpectedly beat Adelaide and was elected Queen of Radio with 744.826 votes

Mary Gonçalves who up to that time had been employed by lacklustre Radio Clube do Brasil was immediately signed up to Radio Nacional the top radio station in the nation. Mary was on top of the world and would reign for a whole year as the Queen of Radio appearing on the cover of countless magazines and head-lines.

1953 would bring about a rude awakening to Mary though. Emilinha Borba was elected the new Queen of Radio. Soon after Mary passed on her crown to the new Queen, Mary was notified by Bill Farr that their romance was over. We cannot tell for sure whether the romance had been for real or not but whatever the case everything leads to the belief Mary was caught unwares by Bill's sudden decision to call it quits. It looks like Mary enjoyed the romance but Bill wanted out!

In 1954, Mary signs with EMI-Odeon but nothing really spetacular comes out of it. Mary puts on a lot of weight: 12 kg in one go! Something was definetely wrong with Mary. 

From 1955 until 1960, Mary Gonçalves is always going some place in Europe, South America or Cuba. Mary only shows up in magazines and newspaper arriving at Galeão or departing to Caracas or Havana.

Then, in 1960, Mary declares she's finally getting married to a North-american citizen and will live in the USA. Her initial dream finally comes true: Mary always wanted to live in the USA. 

In the next few year she would send a note to this or that magazine but the truth of the matter is Mary Gonçalves has never come back. No one knows whatever happened to Mary Gonçalves. Some say she married a man called Gustav A. Stanish and died on 15 April 1982, and was buried in Texas. Bill Farr has died in 2010. Johnny Alf died around the same time. Mary Gonçalves is history...

Revista Carioca 7 Setembro 1950: Mary Gonçalves, artista de grande cartaz no Brasil, deseja agora brilhar internacionalmente.

Mary Gonçalves nasceu em Santos-SP em 25 Outubro 1927, sendo Nice Figueiredo Rocha seu nome de batismo. 

Tornou-se atriz respeitada, fazendo o papel principal feminino em 'Fantasma por acaso' [1946] com Oscarito.

Filmografia

Mary Gonçalves em 'Fantasma por acaso' 1946

"Gente honesta" - 1944 - Oscarito, Mario Brasini, Mary Gonçalves; dir.: Moacyr Fenelon.

"Não adianta chorar" - 1945 - Oscarito, Grande Otelo, Mary Gonçalves, Ziembinski; dir.: Watson Macedo. Grande Otelo canta 'Botafogo', de sua autoria; estréia no Rio em 1o. fevereiro 1945.

'Vidas solidárias'' - 1945 - Mario Brasini, Vanda Lacerda, Mary Gonçalves; dir.: Moacyr Fenelon.

"Cem garotas e um capote" - 1945 - Mesquitinha, Catalano, Mary Gonçalves.

'Fantasma por acaso' - 1946 - Oscarito, Mary Gonçalves

"Asas do Brasil" - 1947 - Celso Guimarães, Mary Gonçalves, Paulo Porto, Violeta Ferraz, Mario Lago, Lurdinha Bittencourt, Saint Claire Lopes; dir.: Moacyr Fenelon.

"Está com tudo" - 1949 - Mesquitinha, Mary Gonçalves.

"Não me diga adeus" (No me digas adiós) 1950 Argentine-Brazilian production; dir.: Luis Jose Moglia Barth.

'Colar de coral' - 1952 -

"Barnabé, tu és meu" - 1952 - Oscarito. Mary Gonçalves aparece em número musical, 'Marta', com Bill Farr.

"O petróleo é nosso" - 1954 - Violeta Ferraz, Catalano, Heloísa Helena, Mary Gonçalves; dir.: Watson Macedo.

"Toda vida em 15 minutos" - 1954 - Mara Rubia, Jardel Filho, Mary Gonçalves e Jayme Costa; dir.: Vanoly Pereira Dias.

Watson Macedo's 'Não adianta chorar' 1945. 
Mary Gonçalves at Moacyr Fenelon's 'Vidas solidárias' 1945.
21 December 1952 - produção de 1944, 'Fantasma por acaso' ainda era exibida no país 8 anos depois (1952), no Cine Jussara em S.Paulo. 
Moacyr Fenelon directs 'Asas do Brasil' in 1947.
Mary & Paulo Porto em 'Asas do Brasil'; Mary & Lurdinha Bittencourt em 'Asas do Brasil' de 1948.
gorgeous Mary in 1947's 'Asas do Brasil'.
'Correio da Manhã' 9 March 1952

medley with 'Marta' (Lauro Maia-Humberto Teixeira-Armando Cavalcanti); 'Não dou cartaz a ninguém' and 'Ninguém vai reparar' (Kleciuis Caldas-Armando Cavalcanti) sung by Bill Farr & Mary Gonçalves in 'Barnabé, tu és meu' (1952).

(Bill Farr) Marta, vem rever o lar que ainda é teu
Marta, nosso amor ainda não morreu
Marta, eu te peço perdão do que eu fiz
Marta, tu bem sabes que eu sou muito infeliz (2x)

Eu sei que fui o culpado da nossa separação
tomei o caminho errado, traindo o meu coração
porém paguei o meu erro sofrendo a dor mais atroz
perdoa, Marta, perdoa o amor que houve entre nós, querida Marta

(Mary Gonçalves) Não quero mais o teu amor
porque já sofri demais
agora eu vou viver em paz
cansei de lhe dar cartaz

O meu perdão eu não darei outra vez
você teve o que merece
quem ofende sempre esquece o que fez
mas quem sofre não esquece

(Bill Farr) Ninguém vai reparar, vem meu amor e deixa esse povo falar
Ninguém vai reparar, vem meu amor e deixa esse povo falar.

(Mary Gonçalves) A vida é curta, a vida é breve
a gente deve aproveitar
o momento que passa, tudo mais é fumaça
fumaça que se espalha pelo ar

(Bill & Mary) Ninguém vai reparar, vem meu amor e deixa esse povo falar
e deixa esse povo falar
e deixa esse povo falar.

14 November 1954 - Watson Macedo's 'O petróleo é nosso' starring Violeta Ferraz, Catalano, John Herbert, Sergio de Oliveira, Adelaide Chiozzo & Mary Gonçalves
Mary & John Herbert in 'O petróleo é nosso'.
3 November 1954 - even though Mary cared more for her singing career - she still appeared in films such as 'Toda vida em 15 minutos' with show-girl Mara Rubia, Jardel Filho, Cesar Ladeira, Renata Fronzi & Jayme Costa.  
1951

Mary Gonçalves decides she'd focus on her singing career leaving the movies aside. She's soon signed by Sinter to record 3 singles. 


Mary Gonçalves' efforts at singing was soon hailed by columnists like Claribalte Passos at magazine 'Carioca' who wrote: "It is a delightful surprise to listen to Mary Gonçalves in Fernando Lobo & Paulo Soledade's 'Penso em você' and 'Só eu sei' released by Sinter in their May-June 1951 suplement. She hasn't got a great voice but she sings in a natural and instinctive way that pleases the ears". Claribalte is so impressed with Mary's attributes that he says: "We'd like to suggest Mary not to change her style. Her debut is as important and remarkable like the dropping of the atomic bomb on Hiroshima". 

 Mary Gonçalves & Bill Farr: a romance made in heaven


Romance encorajado pela revista 'Carioca' entre os dois, só beneficiou a carreira dos cantores/atores, já que Bill Farr tinha seu pézinho no cinema também, sendo um galã em potencial. Se Francisco Carlos atuou no cinema nacional, por que não Bill, que tinha todo o jeitão do gostosão esclarecido... a perfect gentleman.

Reportagem da revistas 'Carioca' de 17 Janeiro 1952.  Mary & Bill saudando o ano novo de 1952, que seria venturoso à Mary, pois seria eleita Rainha do Radio, sendo coroada por Emilinha Borba, sua antecessora, em concorrida cerimônia que teve atenção de todo país.

Feliz 1952!
Mary & Bill having a snack in a luncheonette in Rio de Janeiro! What a lovely couple!
Bill & Mary (wearing her crown) eat a wedding cake... unfortunately not their own...
Reportagem de 3 páginas na 'Carioca'... Mary & Bill fazendo sucesso!

Na 'Parada dos Maiorais'. Bill Farr ganhou essa taça. Mary Gonçalves, que se encontrava no auditório, partilhou com ele as alegrias de seu merecido triunfo; Na taça da vitória, Bill & Mary bebem a saúde um do outro.

Bill Farr canta na Radio Nacional, Mary Gonçalves, na Radio Clube do Brasil. Ambos estão em plena ascensão. Mary tem obtido êxitos seguidos com várias gravações. Bill não está gravando ainda, mas tem aparecido em vários programas de primeiro plano na emissora de Victor Costa, notadamente em audições transmitidas do auditório , onde agrada mais com sua ‘pinta de Lord’. Mary está estrelando o show de um ‘boite’.

E os jornais, em suas seções radiofônicas, andam divulgando que... MARY & BILL ESTÃO NOIVOS.
E tudo indica mesmo que há algo de verdadeiro nessa notícia. Se não há noivado, pelo há um namorico com alguma pretensão séria. Senão, vejamos: estão sempre juntos, jantando juntos, tiram fotografias juntos, gravam para a mesma fabrica de discos, estão trabalhando juntos em 'Barnabé, tu és meu’, uma película carnavalesca da Atlântida, dirigida por José Carlos Burle. Eles aparecerão em 3 quadros. No primeiro ele aparecerá sozinho, no segundo ela cantará sozinha ‘Cansei de lhe dar cartaz’, composição de Klecius e Armando Cavalcanti; finalmente no último quadro Mary & Bill estarão juntos, cantando a música ‘Ninguém vai reparar’.  


nota na mesma 'Carioca' de 17 JAN 1952, trazendo os melhores de 1951.

1952

Revista do Radio de 22 Janeiro 1952; 24 horas na vida de Mary Gonçalves.

Em 1952, numa reviravolta espetacular, devido a uma briga entre Carmélia Alves e Adelaide Chiozzo, as primeiras colocadas, que se tornaram inimigas ferrenhas no arrebanhamento de votos para o concurso 'Rainha do Radio', Mary foi beneficiada com a adição de milhares de votos por parte de Carmélia Alves, sendo assim eleita Rainha do Radio de 1952, com 744.826 votos. Mary, que atuava na Radio Clube do Brasil, foi imediatamente contratada pela poderosa Radio Nacional tornando-se celebridade nacional da noite p'ro dia.


26 June 1951 'Revista do Radio'; 19 April 1952 revista 'Carioca' #836.
RR 25 March 1952 (Dalva de Oliveira, Rainha do Rádio 1951 e Mary Gonçalves, Rainha de 1952); RR 16 September 1952 (Mary e Jorge Goulart).
Anuncio de 2 páginas da Sinter na Revista do Radio, homenageando a Rainha do Radio de 1952, sua contratada Mary Gonçalves.

Em 1952, a Sinter lança 'Convite ao Romance', LP de 10" que incluia 4 composições de Johnny Alf: 'Podem falar', 'Estamos sós', 'O que é amar' e 'Escuta'.

'Convite ao Romance' - album de Mary Gonçalves pela Sinter. 
  
Mary Gonçalves, Carlos Palluf, Celso Guimarães, Osvaldo Luiz, Bill Farr & Adolfo Cruz. Arquivo da Radio Nacional. 

Rainhad do Rádio 1934-1958

Linda Baptista foi escolhida por consenso a "Rainha do Radio"em 1937, entre jornalistas e radialistas cariocas. Em 1948, a ABR resolveu retomar o concurso de Rainha do Rádio esquecido há 11 anos, e montou um esquema no qual as candidatas venderiam votos aos fãs para angariação de fundos que reverteriam para obras de caridade.  

1934 - Carmen Miranda eleita Rainha do Rádio por concurso do jornal 'A Hora'.
1937 - Linda Baptista escolhida por consenso

1948 - Dircinha Baptista - 25.914 votos 
1949 - Marlene - 529.982
1950 - não houve certame
1951- Dalva de Oliveira - 311.107
1952 - Mary Gonçalves - 744.826
1953 - Emilinha Borba - 691.515 
1954 - Angela Maria - 1.464.996  
1955 - Vera Lucia - 565.636 
1956 - Doris Monteiro- 875.605 
1958 - Julie Joy 111.020 

1952 Coronation of Queen of Radio - from left to right: Adelaide Chiozzo (Princesa do Radio), Mary Gonçalves (Rainha do Radio), Doris Monteiro (Princesa), Aracy Costa e Ilza Silveira.
1953

Mary corôa Emilinha Borba a Rainha do Radio de 1953. Terminado seu reinado, logo começam suas agruras.
Miloca & Mary.
Mary Gonçalves passa a coroa de Rainha do Radio 1953 para Emilinha Borba sob os olhares confiantes de Bill Farr. Logo o romance entre os dois terminaria para desgosto dos fãs.
Illustrated weekly magazine 'O Cruzeiro' with Rhonda Fleming at the cover - 25 July 1953 - shows Mary Gonçalves and Jose Lewgoy hosting Glenn Ford and his wife Eleanor Powell when they visited Brazil in 1953. The magazine says: Lewgoy & Mary Gonçalves levaram a Glenn Ford a saudação muito cordial dos artistas brasileiros; Eleanor tem 40 anos e Glenn 37; um presente de Mary: figas baianas para dar sorte. 


Termina o romance de Mary & Bill 

Mary Gonçalves & Bill Farr rompem o noivado. Revista do Rádio 25 Agosto 1953. Jornal  'A Luta Democrática' conta 'tudo' sobre o relacionamento Mary & Bill in 20 Junho 1954.


O romance de Mary & Bill poderia ter sido de 'mentirinha', uma arma publicitária para ajudar a carreira de ambos. Mas parece que foi verdadeiro justamente em seu final. Julgando pelo texto da Revista do Radio de 25-8-1953, chega-se à conclusão de que foi Bill Farr quem terminou o relacionamento, e isso vem se confirmar com as atitudes subsequentes de Mary, que logo tentou arrumar um substituto, mas sem convencer.

Leia o texto da reportagem: Outro dia, no 'Programa Cesar de Alencar', ia ser feita a entrega das taças da 'Parada dos Maiorais'. Bill Farr, com 'Muié Rendeira', conquistara o 2o. lugar. Mary, na primeira fila do auditório, estava numa inquietação medonha; ria, ficava séria, roía as unhas, remexia-se na poltrona, consultava o relogio, ajeitava o cabelo... E quando, na hora da entrega da taça, as garotas começaram a gritar que o Bill 'era o maior' - foi a Mary Gonçalves quem quase teve um desmaio.

Dias depois, surpreendentemente, Mary Gonçalves anunciava o rompimento de seu noivado com Bill. Bill Farr, sereno, confirmava o acontecimento, lamentando, apenas que ambos não se entendessem, como de seu desejo. Ele parecia muito tranquilo, conformadíssimo com o rompimento. Mary é que não demonstrava a mesma serenidade, escondendo, mesmo, uma desilusão amarga. Ela talvez amasse Bill muito mais que ele a ela.

Durante 1953 grava dois 78 rpms: o baião 'Coreana' [Humberto Teixeira-Felícia de Godoy] / 'Aperta-me em teus braços', bolero de José Maria de Abreu-Jair Amorim, acompanhados pela orquestra de Lirio Panicalli; e 'Podem falar', samba-canção de Johnny Alf.

Mary ganha capa da Revista do Radio de 19 Dezembro 1953; Revista do Radio 20 Outubro 1953.
Edhardy Dagally, o noivo letão de Mary Gonçalves


1953 termina com Mary Gonçalves vitoriosa na capa da Revista do Radio, mas o rompimento do noivado com Bill Farr foi arrazador. Lendo a reportagem acima, vê-se que Mary tentou substituir Bill com outro bonitão, na pessoa do letão  Edhardy Dagally. Não se sabe detalhes do romance dos dois, mas tudo faz crer que não 'colou'.

O mais incrivel que acontece com Mary depois do rompimento com Bill Farr é que ela começa a engordar repentinamente. As reportagens na Revista do Radio, Radiolândia e Carioca tratam isso de uma forma positiva, como se Mary precisasse mesmo de alguns kilos a mais para ficar voluptuosa, mas a triste verdade é que Mary, que era considerada até 1953 uma mulher bonita, com a adição de 9 kg torna-se 'rechonchuda', nunca mais voltando à antiga forma.  

Mary diz à RR que estava noiva de Edhary: 'Ele espera apenas realizar um negócio que lhe será bastange rendoso. Após o que iremos para os Estados Unidos, para o casório e lua-de-mel.'  'Estados Unidos?, pergunta RR! 'Exatamente. Ele é desquitado. Nos USA poderemos tratar do casório e, inclusive, conhecer parentes que lá estão.'

Mary diz que Ed nasceu na Letônia, embora resida no Brasil ha alguns anos. Tem uma imobiliária e a presenteou com um terreno enorme lá em Piraí, no Estado do Rio, onde está construindo uma casa de campo. Mary confessa que o noivo tem uma filha de 2 anos, residindo com a ex-mulher lá em Cuba.

E aparece outra revelação curiosa: 'Sabe que eu engordei nada menos que 9 quilos? - Bem que notáramos, Mary estava um 'pedaço' de morena brasileira. 'Deixei de cantar em boite, pratico natação e faço ginástica'. E por que? pergunta a RR! 'Pedido do Ed. Parei com as boites, nado um bocado e estou ficando até campeã de pesca submarina. Tudo sob as ordens do meu querido. Que tal? Legalíssimo!'

O loiraço Edhardy Dagally, vindo da Letônia, com estadia em Havana, para os braços de Mary.  

comentário (maldoso): Não há duvidas que Mary estava na 'rebordosa', isso é, depois de ser deixada pelo Bill Farr, ela tenta convencer a si própria de que arrumou outro bonitão, mas me parece que ele não passava de um aventureiro aproveitador, que deixou a esposa em Cuba com a 'menor' e desceu até o Brasil para 'aproveitar' a maré... e a bobinha da Mary caiu na rede do pescador de dotes. Lógico que tudo é pura inferência. Mas nada de bom saiu desse romance. Não se sabe que fim deu. Provavelmente Mary deu com os burros n'água e continuou sua peregrinação até encontrar seu verdadeiro principe encantado. Se achou, ninguem sabe, ninguem viu, como diz a famosa composição 'Conceição'.
1954

Mary Gonçalves era atração principal da revista 'Folia no Centenário' comemorando o IV Centenário da cidade de S.Paulo - 24 Janeiro 1954. 
revista 'Radiolândia' da 1a. quinzena de fevereiro 1954.

Em 1954, encerra seu contrato na Sinter com o samba-canção 'Dentro da noite' (Oscar Bellani-Luiz de França) e o beguine 'Não vá agora' (Billy Blanco).
Em 1954, Mary é contratada pela Odeon e grava o bolero 'Obsessão' (José Maria de Abreu-Jair Amorim) tendo 'Diga', samba-canção de Júlio Nagib, como lado B. 

Mary virou uma 'bolinha' depois de engordar 12 kg; Radiolândia de 6 Maio 1954.

Apesar de mais gorda, aparentemente Mary não se importava com sua figura 'rechonchuda', inclusive brincando e posando para os fotógrafos em cima da balança da Vasp no Galeão.
26 September 1954 - as of this date Mary Gonçalves fixed residence in Sao Paulo where she worked at various night-clubs - starting with Boite Tourbillon until the end of the decade when she was a fixture at A Baiuca on Praça Roosevelt. Soon after 1960, Mary traveled to the U.S.A. and was never seen again.  


3 Novembro 1954 - Estreia em São Paulo 'Toda vida em 15 minutos' com a vedette Mara Rubia, Jardel Filho, Mary Gonçalves e Jayme Costa encabeçando o elenco.
 
Em 1955 grava o samba-canção 'Nem eu', de Dorival Caymmi] onde canta como sussurrasse, lembrando um ambiente de night-club, tendo ao lado B o baião 'Meu sonho' de Luiz Bonfá.
1956


Radiolândia de 19 Maio 1956; Mary Gonçalves chegando ao Galeão e sendo recebida por Osny Silva, seu colega da gravadora Odeon.

Em Maio de 1956, Mary Gonçalves retorna ao Rio e é rececionada por Osny Silva e reporteres da revista Radiolândia. Mary atuou em radios, boites e TVs no Uruguay, Argentina, Chile, Peru, Ecuador, Colombia e Cuba nos ultimos 2 anos. Gravou no Chile, e em Buenos Aires fêz sucesso com 'Maria Escandalosa' e o 'Baião de Ali-Babá', que deverá gravar no Brasil. 

Mary diz: 'O que mais me impressionou foi o carinho com que o povo de Cuba relembra a nossa saudosa Carmen Miranda, que se apresentava regularmente no night-club Tropicana, o mais famoso do mundo inteiro. Depois da morte de Carmen, em Agosto de 1955, em todos os horários que Carmen teria entrado em cena, a orquestra parava, paravam os artistas, os garçons deixavam de servir os fregueses, as palavras morriam nos lábios dos presentes e prestava-se uma homenagem à Pequena Notável: um minuto de silêncio! E olha que isso acontece durante uma semana inteira, em todos os momentos que Carmen entraria em cena.'

'Estou extenuada pelo trabalho constante. Vim para descansar e ficarei aqui 6 mêses. Depois volto p'ra Venezuela e Mexico a fim de cumprir contratos já assinados. Quero descansar, no entanto já assinei contrato com a Organização Victor Costa para apresentação em radio e TV'. 

Mary grava o samba 'Deixa disso' (Newton Ramalho-Nancy Wanderley) e o samba-canção 'Patatí-patatá' (Hianto de Almeida-Chico Anysio).


Mary viveu na Colombia dois anos, voltando ao Brasil em 1957, se radicando em São Paulo, onde trabalhou na boite Baiúca por 2 anos, também pertencendo ao 'cast' da Organização Victor Costa, TV Paulista e Radio Nacional de S.Paulo.

comentário: embora a nota da Radiolândia seja de 1957, a foto de Mary é de antes de 1954, quando ela engordou consideravelmente.


10 January 1958 - Mary Wynne tells TV Paulista Channel 5 will have a new musical starting 3 February 1958 with pianists Erwin Wiener & Walter Pick and Mary Gonçalves; Miss Wynne also says Mary keeps on enthralling Baiuca's patrons with her rendition of 'Little darling' accompanied by Pedrinho Mattar combo.
19 January 1958 - OESP columnist Mary Wynne says as A Baiúca will close for 4 days during Carnaval Mary Gonçalves still didn't know where she was going to spend those days. 
3 August 1958 - Mary Gonçalves is honoured to receive the visit of singer-song-writer Ataulpho Alves at A Baiuca... read what Mary Wynne wrote about the evening. 
13 May 1959 - Mary Wynne reveals she had a long conversation over the phone with Mr. Figueiredo Rocha, Mary Gonçalves' father who told her Mary worked on TV, radio & night clubs in Santiago de Chile, but now Mary was singing at King's Boite & Teatro Maipu in Buenos Aires. Mary might go on to Venezuela & Mexico. 
12 July 1959 - after having performed as a crooner at A Baiuca for around 3 years, Mary Gonçalves traveled abroad in March 1959. Mary Wynne writes: Vadeco, Odilon, Plinio & Company, o 'all-male-cast' que substitui Mary Gonçalves quando viajou em principios de março, definitivamente tem o seu fan-club presente em grandes numeros no bar da Baiuca todas as noites.

Mary continues: Agostinho dos Santos, que voltou há poucos dias da sua 1a. temporada no estrangeiro (Chile) será o cartaz do Chicote a partir de 25 Julho, depois da Rosaria Meireles que estreia amanhã, dia 13. Já na outra noite o Agostinho, que se encontrava assistindo ao show de Elza Laranjeira e Dircinha Costa, deu um 'sample' aos frequentadores do Chicote quando fez um show à pedidos. 
1960

Mary Gonçalves casa-se! Radiolândia 23 July 1960.

Em 1960, Mary Gonçalves, enquanto cantava num night-club de Barranquilla, Colombia, conhece Gustav A. Standish, um norte-americano que trabalhava na Columbia Pretroleum Company. Logo se casaram, indo morar nos Estados Unidos, nunca mais se ouvindo o nome dela por aqui.

Em 2005, a pesquisadora Thaís Matarazzo, em entrevista-relâmpago com Johnny Alf, ficou sabendo que Mary tinha morrido em 1993 lá nos USA mesmo.

Mary Gonçalves discography 


Como cantora de voz suave e interiorizada, gravou um repertório romântico e coloquial, e assim, incluiu no repertório deste disco as canções do então novato compositor Johnny Alf: Podem falar, O que é amar, Estamos sós e Escuta. São as primeiras gravações de composições deste renomado artista, que também participou do disco tocando piano.

Johnny Alf playing his piano.


see more about Mary Gonçalves' Sinter 10" album at:


'Convite ao Romance' – 1952 – Mary Gonçalves.

No need to stress the point that it is, as all albums from loronix that I am re-posting here, one of my favorites. Everything you always wanted to know about actress and singer Mary Goncalves - but were afraid to ask, you can read in English here:

Mary Goncalves was primarily a movie actress who made inroads as a singer in the 50s, married an American in 1959 and went to live in the USA, never to be heard of again.

'Convite ao Romance' is one of the first albums released by the legendary label Sinter and features a very young Johnny Alf at the age of 22, playing piano. Mary Goncalves was responsible for recording the first Billy Blanco composition in 1951 and Billy provides two songs in 'Convite ao Romance'.

As Moreninhas, a female trio made up of Bidú Reis, Odaleia Sodre and Zezé Gonzaga are in charge of vocals and maestro Lyrio Panicalli arranges the orchestration.  Reprinted Edson Mendes' text in Portuguese.

O LP contém também duas composições de Billy Blanco, compositor que Mary já havia lançado em disco em 1951, com a música 'Rotina'.

Discografia

Convite ao romance (1952) Sinter LP

Penso em você / Só eu sei (1951) Sinter 78
Aquele beijo / Chega mais (Pernambuco-Marino Pinto) 1951 - Sinter 78
Dorme filho (canção de ninar )/ Presente de Natal (1951) Sinter 78
Carnaval na Bienal / São Paulo (1951) Sinter 78
Rotina / Vem depressa (1952) Sinter 78

Coreana / Aperta-me em teus braços (1953) Sinter 78
O que é amar / Podem falar (1953) Sinter 78
Dentro da noite / Não vá agora (1954) Sinter 78

Obsessão / Diga (1954) Odeon 78
Nem eu / Meu sonho (1955) Odeon 78
Deixa disso / Patati-patatá (1956) Odeon 78

Convite ao romance Sinter SLP 10081952:


1. Podem falar (Johnny Alf)
2. Duvidando (Coelho Neto - Amado Regis)
3. O que é amar (Johnny Alf)
4. Tédio (Billy Blanco)

1. Estamos sós (Johnny Alf)
2. Não vá agora (Oscar Belandi - Luiz de França)
3. Escuta (Johnny Alf)
4. Dentro da noite (Billy Blanco)

Arranjos: Lyrio Panicalli; flauta: Ary Ferreira; saxofone: Quincas; guitarra: Zé Menezes; violinos: Irany Pinto
Piano: Johnny Alf; vocais: As moreninhas (Bidu Reis, Odaléia Sodré e Zezé Gonzaga)

Antes do terminar 52, a Sinter lançou em 78 rpm, 'Rotina' (Billy Blanco) / 'Vem depressa' (Klécius Caldas-Armando Cavalcânti).


Sinter compilation 10" album with Mary Gonçalves singing 'Chega mais'.

'Correio da Manhã' 9 March 1952.
Rio de Janeiro's 'A Noite' reviews 'Colar de coral', a Mary Gonçalves film shot in 1948 and released 4 years too late - 10 March 1952 - to cash in on Mary's being crowned Queen of Radio 1952. Produced and directed by Leo Ivanow for Cine Filmes Limitada had Douglas Michalany, a Brazilian swimmer and polo-player as Mary's romantic counterpart.  


No comments:

Post a Comment