Monday, 10 April 2017

Portraits of Ademilde Fonseca, Nora Ney etc.


a radiant Ademilde Fonseca... a svelte Angela Maria.
a hard-working Blota Junior; a stunningly beautiful Dircinha Baptista. 
a spunky João Dias and an inquiring Nora Ney.
Candido Botelho photographed in Hollywood; Orlando Correa in 1953.
Roberto Paiva; Rinaldo Calheiros. 
a wistful Ivon Cury.
a dreamy Cauby Peixoto. 
Ruy Rey in 1948; Stellinha Egg in 1943. 
4 Azes & 1 Coringa; Marília Baptista & Henrique Baptista.
Mario Zan; maestro Gaó whose real name was Odmar Amaral Gurgel.
song-writer Peterpan aka Jose Fernandes de Paula was married to Nena Robledo, Emilinha Borba's sister; René Bittencourt wrote 'Estrela Dalva', 'Senhor da floresta', 'Nono mandamento' etc. 
a young Orlando Silva; Os Cariocas soon after Ismael Neto's death.
Trigêmeos Vocalistas were not twins but 2 brothers and a cousin. 
Anjos do Inferno were not angels nor hailed from hell... Leo Villar in the right in 1942.
Emilinha Borba at Radio Nacional. 


Saturday, 8 April 2017

Ismael Netto & Heleninha Costa, love story

Ismael Netto had been working at Radio Nacional with his group Os Cariocas for a year when Heleninha Costa was about to debut on 'Canção romântica', in December 1946. Os Cariocas were to accompany the new singer but they didn't have much time to rehearse. 

Heleninha was anxious about her presentation and finding the arrangement difficult asked Ismael for more details about its progress. Ismael, who was a hard-working musician wasn't very forthcoming and Heleninha was left to fend for herself. 

She went on to sing her number and fumbled badly. Heleninha felt Ismael was a heartless man and never talked to him again.

As time went on, Heleninha & Ismael often had to inter-act and gradually the wall between them came down. Actually, as soon as Ismael realized how cold and uncaring he had been with Heleninha he tried to mend his ways. Soon they were sharing the same venues and working together on songs. 

As Heleninha's mother could not accompany her daughter in every gig, Ismael ended up being her chaperon, as Brazilian ladies in the 40s and 50s were not supposed to go places by themselves without their 'dueñas'. 

Heleninha and Ismael became sweethearts but hid that fact from everyone, especially their families. But as love conquers all they became engaged in December 1950, and got married on 4 December 1951. 

Heleninha Costa & Ismael Neto get engaged in December 1950.

Ismael de Araujo Silva Netto  * 7 December 1925 in Belém-PA + 31st January 1956, in Rio.
Helena Costa Graziolli  * 18 January 1924 + 11 April 2005, in Rio de Janeiro.

Em 1946, foi anunciado que a Radio Nacional contratara mais uma cantora, que deveria estrear no programa ‘Canção romântica’. Seu nome era Heleninha Costa, que até então atuava na Radio Mayrink Veiga, PRA-9. Todos estavam ansiosos por conhecê-la e no dia da estreia só havia uma pessoa que não estava lá muito satisfeito com a nova estrela; Ismael Netto, chefe do conjunto vocal Os Cariocas.

Heleninha deveria cantar acompanhada por seu conjunto. Uma das músicas escolhidas para o lançamento da nova estrela fora ‘Bote... bote...’ de Dorival Caymmi. Sendo um arranjo difícil e estando a cantora nervosa e mesmo não conhecendo bem o estilo d’ Os Cariocas, erraram diversas vezes durante o correr dos ensaios.

Heleninha sentiu que Ismael tivera pouca paciência com ela, pois quando pediu-lhe mais detalhes sobre o arranjo, ele, de ‘cara amarrada’, disse: ‘Você entra aqui, modula depois, neste sol, aqui há uma pausa de dois tempos... Entendeu?'

‘Entendi, sim, obrigada!’, respondeu Heleninha, bem compreendendo o mau-humor do colega. No entanto, pensou: ‘Ele deveria saber que é o arranjador e conhece bem a música. Meu Deus, como é que eu vou cantar isso?’

Iniciado o programa, o locutor anunciou a estreia da noite. Heleninha aproximou-se do microfone e o resultado, como era de prever, foi desastroso. Heleninha errou e diversas pessoas notaram. Ismael murmurou um ‘diabo!’ entredentes. Ela, daquela data em diante, não mais dirigiu uma palavra ao arranjador que lhe fizera cometer tal gaffe logo na sua estreia. 

Ismael ficou com pena da jovem cantora e lamentou a sua falta de atenção. O arrependimento, porém, foi tardio.  Durante longo tempo os dois se mantiveram brigados. 

Os meses passavam. Devido a designações da estação, muitas vezes Heleninha tomava parte no mesmo programa com Ismael, e como era de se esperar, os dois voltaram às boas. Ismael pediu desculpas e a estrela aceitou.

Tornaram-se bons amigos. A raiva que se dispensavam mutuamente se transformou em amizade. Quando ele tinha um show sempre a convidava para tomar parte, e quando ela era convidada para um espetáculo sempre envidava o melhor de seu esforço para que Ismael também fosse chamado.

Essa amizade já se estendia por 3 anos. Aproximando-se o verão, os dois, frequentemente eram convidados para shows carnavalescos. A genitora de Heleninha , devido a alguns compromissos, de um momento para outro viu-se impossibilitada de acompanhar a filha aos seus espetáculos.

Heleninha pediu a Ismael que a acompanhasse. Este, de bom grado, atendeu-a e depois dos shows saíram juntos. Surgiu o namoro que ambos ocultavam de suas famílias. E por fim, o arrependido Ismael pediu em casamento a sensível Heleninha. Estão noivos e felizes.

Tendo que voltar de shows altas horas da noite, Ismael se prontificou a deixá-la no caminho de casa... ele mora em Lins de Vasconcelos e ela no Flamengo.

Assim nasceu o amor. Vieram os passeios, as trocas de confidências e os planos. Ismael tornou-se uma espécie de empresário de Heleninha e é hoje quem resolve a maioria de seus negócios. No futuro, segundo nos declarou, ele pretende abandonar o radio, depois que alguns anos tiverem passado e tenham nascidos alguns pimpolhos para alegrar seu lar.

Revista do Radio, 9 January 1951; article written by Antonio Rocha.

Ismael se compenetrou de seus deveres de noivo: ‘Anteriormente não tinha razão para viver. Era desinteressado em tudo. Não levava nada a sério.  Mas hoje, Paulo Marques tem que ter outro companheiro para as farras, porque delas só resta a lembrança...’

Heleninha confirma, dizendo que Ismael também representa o seu maior estímulo. E olha para ele, perguntando suavemente: ‘Posso dizer, bem?’ Ismael reluta, mas acaba assentindo e Heleninha nos diz: ‘Há poucos dias comentava com o Ismael que o nosso amor deve ser diferente, pois com o passar dos dias parece tornar-se mais intenso, ao invés de arrefecer, como acontece com tantas pessoas...’

Ismael sorri, acende um cigarro e retruca, quando lhe perguntamos quais são os planos para o futuro: ‘Esperamos empreender uma viagem de estudos à Europa. Espero tornar-me compositor clássico e sei que para isso é necessário muito estudo e perseverança.'

‘Você sabe’, diz repentinamente Heleninha, ‘o Ismael é um dos raros homens que eu conheço que gosta de vestidos apertados e decotados. Antes eu usava vestidos simples, mas notei que ele preferia deste tipo que uso agora. Por isso...’

Sorriram todos. Em seguida perguntamos sobre os preparativos para o casamento. ‘Já compramos um apartamento no Leme. E não resta a menor duvida que este é o maior problema para os noivos de hoje.’

Os ponteiros pareciam pular. Heleninha tinha que sair para gravar ‘Cartas de amor’, uma versão de Lourival Faissal do famoso fox ‘Love letters’, de Victor Young e letra de Edward Heyman. ‘Nunca tivemos necessidade de nos corresponder, pois para onde quer que eu vá sempre o Ismael me acompanha, por isso essa gravação de ‘Cartas de amor’ é oferecida a ele’, diz Heleninha.

Ismael diz que o casamento será em Dezembro de 1951 e que passarão a lua-de-mel em Buenos Aires ou São Paulo... tudo depende da Radio Nacional. 


Heleninha Costa & Ismael Netto got married on 4 December 1951, at the Catholic Church of Nossa Senhora da Gloria (Our Lady of Glory) at Largo do Machado, in Laranjeiras. Even though Ismael was a member of the Baptist Church, a Protestant sect, he agreed with a Catholic wedding to please Heleninha. 


Revista do Radio shows a photo-article about the happy couple in their love nest at Leme. The magazine depicts Ismael as thinking about the arrival of a baby brought in by the stork herself. These were cute pieces Revista do Radio published to delight their mostly female readership.  

Ismael having a shower while helpful Heleninha fetches him his towel.
strolling down Avenida Atlantica, Copacabana. They live in a flat in Leme. 


Heleninha relaxes while Ismael cares about her.
Heleninha & Ismael kissing time. 


Ismael Neto (30) dies suddenly on 31st January 1956

To everyone's surprise and consternation the news of the demise of Ismael de Araujo Silva Netto, hit the Brazilian show business world with disbelief and sadness on Tuesday morning. Ismael had just turned 30 years old only on 7 December 1955.

Not much was known about his health except that Ismael felt ill on the Monday, 30 January 1956, and his family rushed him to Hospital Dr. Gerson de Paula Lima, on Rua Conselheiro Josino, 34, near the Brazilian Senate in Rio de Janeiro, where he stayed overnight. Before noon on Tuesday, the Hospital declared that Ismael Netto had died of liver failure. A liver crisis had set in but no further details were forwarded to the press. 

Apparently Ismael's health was good. He never missed a day's work at Radio Nacional or failed to show up at gigs he had with Os Cariocas at night clubs or at his wife's Heleninha Costa musical dates. Judging by photos taken in recent past one might say Ismael was perhaps a little over his right weight.

Revista do Radio - as usual - took a photo of Ismael's body laid in state. It may be considered tasteless nowadays, but it was common practice in Brazil in the 1950s.

Ismael de Araujo Silva Netto
* 7 December 1925, in Belém-PA
31st January 1956, in Rio.

the unthinkable happened: Ismael Neto died suddenly on 31st January 1956.

  
Ao findar-se a manhã de terça-feira, dia 31 de janeiro de 1956, num quarto do Hospital Dr. Gerson de Paula Lima, na rua Conselheiro Josino, 34, na Esplanada do Senado, falecia Ismael Neto, chefe do conjunto Os Cariocas e compositor de ‘Valsa de uma cidade’ e ‘Canção da volta’ entre várias.

Figura das mais populares nos meios artísticos, Ismael era casado com a cantora Heleninha Costa, desde 4 de dezembro de 1951, depois de um noivado que os fãs acompanharam com enternecimento.

Vivendo felizes, conforme divulgavam as reportagens fotográficas que a Revista do Radio, por diversas vezes publicou com o casal. Heleninha e Ismael entendiam-se carinhosamente, vivendo uma longa lua-de-mel que só a morte fez terminar. 

Nada parecia indica nele qualquer enfermidade mais séria. Robusto, sempre alegre e cordial, Ismael Neto jamais deixara de comparecer aos ensaios e programas na PRE-8. Ele e Heleninha sabiam receber os amigos e comparecer às festas do radio.

Atacado, repentinamente, de um mal do fígado, foi ele recolhido, na segunda-feira, véspera de seu desenlace, àquele hospital, falecendo horas depois, quando ainda nem se sabia de sua enfermidade. A notícia consternou todo o radio e o público, ainda não refeito da tristeza causada pela morte de Augusto Calheiros há menos de 3 semanas, em 11 de Janeiro de 1956.

O enterro foi no Cemitério São João Baptista, tendo a cerimônia de despedida sido oficiada por um pastor da Igreja Baptista, religião que professa a família. 


Heleninha Costa, inconsolável é confortada por Bob Nelson e outros colegas do radio. 

'Correio da Manhã' 2 February 1956 - brings the shocking news of the Ismael Netto's death.


Os Cariocas 1951

Os Cariocas were signed by Radio Nacional in December 1945, as soon as they recorded their first 'demo' for the national broadcaster. 

Revista do Radio printed this article on its issue no. 94 - 26 June 1951 - in which they have a little talk with Ismael Neto, who was working at the offices of Radio Nacional. 

Ismael tells how Os Cariocas came to be. How he dreamed of forming a vocal group like Bando da Lua and Anjos do Inferno since he were a child. How his father Severino had always been against his plans but ended up helping him. His father asked his friend Radamés Gnatalli, the musical director of Radio Nacional to give the boys a chance and that was it!

Os Cariocas are Ismael Neto, his younger brother Severino Filho, Emanuel Barbosa Furtado aka Badeco, Jorge Quartarone aka Quartera and Waldyr Prado Viani.  

Os Cariocas in the early 1950s: Waldyr, Badeco, Quartera, Ismael & Severino.


Localizamos Ismael Neto na sala de ensaios da Radio Nacional, ao lado de Nestor de Hollanda, onde trabalhava num samba com o título de ‘Seu nome não é Maria’, que será gravado por Dick Farney. Procuramos Ismael para falar sobre Os Cariocas, de quem é o chefe e fundador. 

Desde a infância que eu sonhava com um conjunto musical. Organizava reuniões na beira das calçadas e com uma flauta de bambu dirigia pitorescos shows. Eu gostava também de pintura e desenho, mas musica vinha primeiro. Quando apareceram mais 4 rapazotes com a mesma ideia, nasceu o conjunto. Cantávamos as músicas do Bando da Lua e dos Anjos do Inferno. A coisa ia bem e, embora nossos pais se opusessem tenazmente àquele divertimento que nos roubava horas de estudo, um dia nos apresentamos no programa 'Papel Carbono' da Radio Clube. 

Badeco, que já é quase um arquiteto, faz questão de frisar: 'Não esqueça de dizer que somos da Tijuca'. O conjunto nasceu na rua Hadock Lobo, 217. Jorge, o Quartera, que possui um fino senso de humor, sugere a afixação de uma placa histórica no prédio onde o conjunto nasceu.


Na segunda vez que nos apresentamos no Papel Carbono, conseguimos o primeiro lugar, o que encheu de orgulho ao meu bondoso pai, que era do contra, mas tornou-se à favor. Ele era muito amigo do maestro Radamés Gnatalli e pediu-lhe que nos facilitasse a gravação de um disco.

Radamés prontificou-se a atender e combinamos o dia da gravação, que seria feita aqui nos estúdios da Radio Nacional. Chegado o dia, cantamos. Estávamos certos que apenas gravaríamos um disco para o meu velho pai e executamos a música com toda naturalidade. Acontece, porém, que, naquele tempo, na Radio Nacional, a gravação de um disco constituía um teste, o que ignorávamos. Estou certo que se soubéssemos o que fazíamos , teríamos ficado nervosos e talvez hoje não estivéssemos aqui.

Haroldo Barbosa ouviu a gravação e no outro dia fomos contratados. Isso foi em Dezembro 1945 e até agora, aqui estamos. Já gravamos inúmeras músicas e nossos últimos discos são ‘Tim-tim por tim-tim’, de Haroldo Barbosa e Geraldo Jacquese ‘Caminho errado’, de Paulo Marques e desse seu criado.

'Correio da Manhã' 19 February 1956; Os Cariocas perfom in Sao Paulo 18 March 1956.
'Correio da Manhã' 15 March 1956; Hortência Jessé debuts with Os Cariocas, 2 months after Ismael's death.
Os Cariocas soon after Ismael Neto's demise in 1956.
When Ismael Neto died on 31st January 1956, his sister Hortência Silva took his place with Os Cariocas.
Severino Filho, Quartera, Badeco & Luiz Roberto in 1966.
1966.
1964.