Thursday, 24 November 2011

WILMA BENTIVEGNA

Wilma Bentivegna is still remembered in Brazil today as the petite singer who took Edith Piaf's 'Hino ao amor' (Hymne a l'amour) to #1 in 1959. Two years later, in 1961, Wilma took a cover of United Artist's film 'The Alamo's main-theme 'As folhas verdes de verão' (The green leaves of summer) to the top again. 

Wilma started her career much earlier, in 1938, as a child singer and actress on Radio Difusora in São Paulo. 

In 1957, when Wilma was 28 years old she recorded 'Marcelino pão e vinho' from the Spanish smash-hit film 'Marcelino pan y vino' which climbed up to #1. Everyone thought it was sung by a boy, but it was Wilma's 'childish voice' impersonating a boy of 7. Wilma was petite and mignon and could play the part of a boy any time she wanted.

Even though Wilma Bentivegna had 3 smash hits at different times in her career, she never actually became a consistent pop singer. After 'Hino ao amor', Odeon-EMI released an album but even though there was a couple of good songs the repertoire was erratic. In other words, Wilma never found her own particular place in the Brazilian pop world. Maybe she didn't care for her singing career for in 1959, when she was on top-of-the-world she simply failed to show up at the Chico Viola's award ceremony to claim one of the trophies. It would be something like winning a Grammy and not bothering to show up to receive it.

Wilma kept busy recording irrelevant songs, appearing on day-time TV or minor soap-operas on TV Tupi or TV Record. As time went on, Wilma settled back in Suzano-SP in the metropolitan area of Sao Paulo where she got herself a public-service job and bought a house where she could take care of her elderly mother. Maybe that's what Wilma really wanted all along: to be left alone!  

Wilma Bentivegna
handsome Odayr Marzano translated Edith Piaf's 'Hymne a l'amour' into Portuguese.
radio-drama 'Teatro das 5 horas' on Radio Difusora de São Paulo. Some of them became really popular like Walter Avancini who turned into the most important TV soap-opera directors in the nation; Sarita Campos became a day-time TV celebrity; Homero Silva had a kid's show called 'Clube do Papai Noel' for years on the radio & TV Tupi; Janet Clair wrote the most popular TV soapies in the 1970s and 1980s; Milton Ribeiro played the baddest possible bad-men at the cinema starting with 'O cangaceiro' in 1953; Julio Nagib was a record producer for EMI-Odeon for the longest time; Maria Vidal one of the dearest comedienne in our Cinema; Dionisio de Azevedo played the bad priest in 'O pagador de promessas' ...  
Wilma unwinding in the country in the 1950s shows up two chicks: one black the other yellow.
Radiolandia, 1954; Wilma at Emissoras Associadas.

Wilma Bentivegna nasceu em São Paulo a 17 Julho 1929.


Começou aos 9 anos no programa 'Clube do Papai Noel', apresentado por Homero Silva, na Rádio Difusora.

Atuou em radio-teatro na Rádio Tupi, sob direção de Otávio Gabus Mendes e na Rádio Difusora, com Oduvaldo Vianna, fazendo papeis infantis, pois sua voz era de menina.

Foi a caçula da Caravana da Alegria. Cantou no show de inauguração da TV Tupi de São Paulo, acompanhada do conjunto vocal 'Os Quatro Amigos', do qual Sidney Moraes fazia parte. 

Gravou em 1954, pela Sinter, seu primeiro 78 rpm, com a guaracha 'Me voy a morir', de F. Cabrera e o samba-canção 'Chove' (Geraldo Vietri).

Em 1955 foi contratada pela Organização Victor Costa atuando na Rádio Nacional de São Paulo e pela TV Paulista, tendo sido apresentadora de 'O Mundo é das Mulheres', ao lado de Hebe Camargo, Lourdes Rocha e Eloísa Mafalda, um sucesso do Canal 5, TV Paulista. 


revista 'Carioca' 1951.
Wilma at Radiolandia, 1954.
Victor Costa recebe Wilma Bentivegna ao 'cast' da PRG-9 Radio Nacional de SP e TV Paulista - Canal 5. Ao fundo vê-se Murilo Amorim Correia e Norah Fontes
 Lia de Aguiar, Dernival Costalina, Wilma Bentivegna, Walter Forster, Hebe Camargo e Dario de Ameida na noite de estréia na TV Paulista - Canal 5 - O.V.C. 
'O Mundo é das Mulheres' - entre outras, vemos da esq. p'ra direita: Lia de Aguiar, Norah Fontes, Isa Leal e Lolita Rodrigues na estréia de Wilma Bentivegna na Organização Victor Costa.

Em 1956 passou a gravar pela Odeon, lançando o fox 'Rififi' de Gerard e Rue, versão de Haroldo Barbosa e o bolero 'Ama-me amor' de Panzeri e Mascheroni, versão de Valdir Cardoso.
Wilma e seu Roquette Pinto de 'revelação' de 1954. 
Wilma Bentivegna & Ninon Sevilla no Cine Marrocos no I Festival de Cinema do IV Centenário de S.Paulo 1954. 
Bentivegna na 'Radiolândia' de 16 Abril 1955.

Em 1957, gravou 'Pollyana'  de N. Schultze e B. Balzo, versão de Ribeiro Filho e no lado B 'Marcelino, pão e vinho' de P. Sorozobal e P. Sorozobal Jr., versão de Ribeiro Filho, da trilha-sonora do filme de mesmo nome.  'Marcelino' galgou os primeiros postos das paradas de sucesso do país, ultrapassando as versões de Luely Figueiró [Continental], Dalva de Andrade [Polydor] e Ester de Abreu.

Em 1959 'estourou' com a versão de 'Hino ao amor' de Edith Piaf e Monnot, versão de Odayr Marzano, e o samba 'Só tristeza' de Paulo Rogério e Odayr Marzano.

Em 1960 gravou 'Minha devoção' (O. Cesana) e o samba-canção 'Vontade de enlouquecer' de Guerra Peixe e Odayr Marzano.  
Em 1961 voltou ao topo das paradas pela última vez com a versão de 'Green leaves of summer' traduzida como 'As folhas verdes de verão' de D. Tiomkin e P. F. Webster, versão de Paulo Rogério, DJ da Radio Nacional de S.Paulo, o tema central do filme 'Alamo'; tendo ao lado B a linda 'Canção do amor que eu lhe dou' de Lourival Faissal.  
Em 1962 gravou 'Canção de um triste' (Paulo Rogério e Oldair Marzano) e 'Preciso de alguém' (Paulo Rogério).


comentário sobre a gravação de 'Marcelino pão e vinho' escrito por Gabriel Gonzaga em seu blog 'Chiadofone' - http://chiadofone.blogspot.com/

Wilma Bentivegna, figura das mais famosas na cidade, era cantora, atriz, apresentadora e tudo o mais que necessitasse de talento e desenvoltura ante às câmeras. Em 1959, consagraria-se definitivamente com uma antológica versão do clássico 'Hino ao amor', que ganharia dezenas de gravações pelos anos afora. Mas, antes disso, em 1957, grava 'Marcelino, pão e vinho', um das melhores dentre as tantas feitas nesse ano e de boa vendagem. O filme homônimo foi um fenômeno no mundo inteiro, grande parte devido a interpretação emocionante do garoto Pablito Calvo. Ouvindo suas gravações, você pensará tratar-se de uma menina um pouco só mais velha que Maria Regina. Mas não se iluda. No ano da gravação, ela já contava 28 anos. 
Wilminha em dois estágios de sua carreira. 

Wilma em novela transmitida durante a tarde, na TV Record - Canal 7, Maio de 1965.

Em 2005, o selo Revivendo lançou o CD 'Wilma Bentivegna - Hino ao amor' com 18 de seus maiores sucessos.

Odayr Marzano - Maio 1952.

Wilma Bentivegna e seu troféu 'Chico Viola' de 1961, que recebeu pela vendagem de 'Folhas verdes de verão'. Note que Wilma 'esnobou' a TV Record em 1959, não comparecendo à cerimônia de entrega do 'Chico Viola' 1959, que ela tinha sido agraciado pelas vendagens de 'Hino ao amor'.

Além de cantora, Wilma Bentivegna foi uma das pioneiras da televisão, tendo sido também apresentadora e atriz de novelas. Fez TV de Vanguarda (TV Tupi) e Teledrama Três Leões (TV Paulista), em papéis célebres, em companhia de atores importantes.



O fã Bruno Meni escreveu no Orkut em 23 Maio 2009:  Além de Wilma Bentivegna ser uma grande amiga, ela é minha vizinha. Wilma mora no centro de Suzano-SP e já não é mais funcionária pública devido a mudança de gestão. Ela está com alguns problemas de saúde devido a idade, mas nada considerado grave. O mais preocupante é que se encontra com um pouco de depressão, mas em Suzano, assim como eu, existem muitos outros amigos dela e procuramos sempre estar com ela. Abraço a todos os fãs de Wilma.

Nota de falecimento: Morre Wilma Bentivegna 

Wilma circa 2015

Wilma Bentivegna morreu por volta das 15 horas de 2 Julho 2015 no Hospital Ipiranga em Mogi das Cruzes-SP. 'Wilma já não andava muito bem há algum tempo. Estava com depressão e quase não saía de casa em Suzano-SP' disse Gil Fuentes, amigo da familia. O velório foi realizado na Câmara Municipal de Suzano e o enterro foi na sexta-feira, 3 Julho 2015 no Cemitério São João Baptista (Cemitério do Raffo) onde estão enterrados os pais de Wilma. 

2 comments:

  1. Ola Carlos: Adorei a matéria. Parabéns pela pesquisa. Ficou muito bom. Falei hoje pelo telefone com a Wilma. Ela ia dar uma entrevista para uma emissora(não me disse qual). Abrs. Pedro Lemes

    ReplyDelete
  2. This comment has been removed by a blog administrator.

    ReplyDelete